FACEBOOK
CONTATO
FEED
YOUTUBE
TWITTER
LINKEDIN
EnglishFrenchGermanSpainItalianRussian

A Suástica Cor-de-Rosa:Homossexualidade no Partido Nazista

Print Friendly and PDF





The Pink Swastika: Homosexuality in the Nazi Party é um livro publicado em 1995 por Scott Lively e Kevin Abrams.O livro atraiu críticas de historiadores.

Sumário

Segundo os autores,a homossexualidade presente no partido nazista contribuiu para o militarismo extremo da Alemanha Nazista.O titulo do livro,assim como o próprio é uma refêrencia ao livro de Richard Plant chamado The Pink Triangle: The Nazi War Against Homosexuals,livro que detalha a homofobia do partido nazista e os homossexuais vitimas do nazismo.Lively e Abrams também abordam o nazismo na América e discutem sobre  a organização Boy Scouts of America.
O livro defende que muitos lideres do regime nazista,incluindo o próprio Adolf Hitler,eram homossexuais e alega que 8 dos 10 maiores serial killers dos Estados Unidos são homossexuais.
Os autores alegam que a perseguição de homossexuais  foi direcionada só para homossexuais afeminados.Uma fonte importante para The Pink Swastika foi o livro Germany's National Vice  escrito por Samuel Igra,do qual Lively  se refere como "a versão 1945 da Pink Swastika."

Judith Reisman

A escritora conservadora americana declarou que acredita que o movimento homossexual alemão deu origem ao partido nazista.Ela concorda com "The Pink Swastika" ,que discorre sobre esse ponto de vista e já chegou a comparar grupos modernos pró-gays com a juventude Hitlerista.Ela também já argumentou que Hitler nunca difamou gays em seus discursos e também não o fez em seu livro "Mein Kampf".

Recepção

Erik Jensen N. referiu a ligação da homossexualidade e nazismo dos autores como a recorrência de um "mito pernicioso", originário de  ataques de 1930 contra o nazismo por socialistas e comunistas e "há muito dissipado" por "estudos sérios". Jensen viu o livro como vindo "do rescaldo de uma medida de Oregon para revogar direitos dos homossexuais". Dorthe Seifert citou como uma resposta à crescente consciência da perseguição nazista aos homossexuais.Christine L. Mueller argumenta que registros históricos não suportam as afirmações de Abrams.Bob Moser, escreveu para o "Southern Poverty Law Center", dizendo que o livro foi promovido por grupos anti-homossexuais e que  historiadores sérios concordam que sua premissa é "totalmente falsa".

Jonathan Zimmerman, um historiador da Universidade de Nova York, escreveu que a alegação de que os gays ajudaram a trazer o nazismo para Alemanha "é uma mentira colossal".Zimmerman, aponta que "entre 1933 e 1945, os nazistas prenderam cerca de 100 mil homens.Homossexuais convictos foram condenados e enviados para a prisão, entre 5.000 e 15.000 foram internados em campos de concentração, onde eles usavam triângulos rosa para indicar seu suposto crime ".Ele ainda observa:" para ganhar a sua libertação dos campos,. alguns gays foram obrigados a submeter-se a castração. Outros foram mutilados ou assassinados nas chamadas experiências  por médicos nazistas, que insistiam que a homossexualidade era uma doença que poderia ser 'curada' ". Além disso," Hitler autorizou um decreto em 1941 prescrevendo a pena de morte para os membros da SS e da polícia culpados de atividade gay ".

Um trecho do livro está dispónivel no link abaixo,para quem se interessar:
http://www.mortesubita.org/magia-sexual/textos-sexuais/homossexualidade-e-nazismo-esoterico/?searchterm=nazismo
 
Sobre o Autor:
LORD KRONUS
LORD KRONUS

Admirador do Oculto e cinéfilo.
azerate666@hotmail.com
Confira mais textos deste autor clicando aqui

0 Comentários: