FACEBOOK
CONTATO
FEED
YOUTUBE
TWITTER
LINKEDIN
EnglishFrenchGermanSpainItalianRussian

Print Friendly and PDF



 Sobre as casas astrológicas: o que pude perceber e como sintetizei seus significados particulares.

Paz e Luz para todos os seres.


Da casa 1 (ascendente) até a casa 4 (fundo do céu), percebo se tratar fundamentalmente de questões básicas e individuais ligadas à sobrevivência e manutenção do organismo biopsíquico. Portanto, são regidas pelo verbo Ser. Vejamos em ordem crescente o que cada uma significa a partir deste princípio: constituição física, traços permanentes da personalidade e do temperamento, enfim, aquilo que a pessoa é externamente e com o qual tende a mostrar-se para o mundo (casa 1); valores, que decidem preferências de gosto nas coisas materiais, talentos inatos e senso de posse e apropriação (casa 2); experiência escolar, com a fala, a escrita e transmissão de ideias, expressão verbal (casa 3); intimidade, mundo psíquico interno, influência e condicionamentos da família, tudo o que é privado, intransmissível, e como ele procura paz íntima (casa 4) Todas essas casas trazem temas e condições já dadas pela natureza, por isso o verbo Ser. Da casa 5 à casa 8, percebo se tratar fundamentalmente do modo como o indivíduo é responsável por suas próprias escolhas. Portanto, o verbo regente é o verbo ATUAR. Vejamos: vontade de fazer algo por si, de expressão de si mesmo, externalizando tudo o que ele acredita brotar de uma suposta identidade de si mesmo (casa 5); resultados e impactos práticos, econômicos e na saúde daquilo que se resolveu fazer a partir de si mesmo, e as responsabilidades que deve arcar por isso (casa 6); necessidades de acordos, de visualização da importância do outro e como eu me comporto com o direito alheio, bem como relações afetivas próprias e compromissadas também com os anseios do outro, como me comprometo com o outro (casa 7);’ necessidade de abandonar e recomeçar do zero, reconhecimento de falhas, como lidar com a desestruturação das ligações emocionais, como enfrento o processo de morte (casa 8). É interessante notar como aqui poderia ser regido também pelo verbo COMPROMETER: como me comprometo comigo mesmo (5), com os resultados de se comprometer comigo mesmo (6) com os desejos e valores do outro (7) com necessidade de retraçar a rota (casa 8). Já as casas de 9 à 12 parecem ser regidas pelo verbo PERTENCER. É, até onde percebo, quando o indivíduo tenta integra-se a algo maior. Vejamos: necessidade de pertencer a uma crença, a uma religião, ideologia (casa 9); necessidade de pertencer a uma função social, ou a algum lugar prático da sociedade (casa 10); necessidade de pertencer à humanidade atual, de trazer alguma nova visão, de se preocupar com o futuro da coletividade, de pertencer também a grupos intelectuais (casa 11) necessidade de pertencer a uma raça espiritual, de encontrar-se em um passado comum racial, de vislumbrar sua pertença de um ponto de vista espiritualizado e místico (casa 12).

Pedro Allan Portácio de Queiroz / pseudônimo: Ordepnalla,
Faz-se mapa astrais, sinastrias e revoluções solares via e-mail
Contato: pedrofilosofiaufc@gmail.com

0 Comentários: