FACEBOOK
CONTATO
FEED
YOUTUBE
TWITTER
LINKEDIN
EnglishFrenchGermanSpainItalianRussian

INDEPENDÊNCIA OU MORTE

Print Friendly and PDF


Gênero: histórico
Diretor: Carlos Coimbra
País de Origem: Brasil
Gênero: Épico
Tempo de Duração: 108 minutos
Ano de Lançamento: 1972


Sinopse:
Dirigido por Carlos Coimbra e produzido no ano de 1972. Aborda o dia da abdicação de D. Pedro I. No elenco Tarcísio Meira, Manuel da Nóbrega e Glória Menezes.

Tendo como ponto de partida o dia da abdicação de D. Pedro I (Tarcísio Meira), é traçado um perfil do monarca, desde quando ainda menino veio da Europa, quando sua família fugia das tropas napoleônicas e sua ascensão à Príncipe Regente, quando D. João VI (Manuel da Nóbrega) retornou para Portugal. Em pouco tempo a situação política torna-se insustentável e o regente proclama a independência, mas seu envolvimento extraconjugal com a futura Marquesa de Santos (Glória Menezes) provoca oposição em diversos setores e José Bonifácio de Andrada e Silva (Dionísio Azevedo) pede demissão do Ministério, mas este não seria o único caso, que ministros e nobres entrariam em choque com o imperador por causa da marquesa, que permanentemente influenciava as decisões do soberano, mas tudo isto causava um inevitável desgaste político.

Veja o sonho de Tiradentes e de tantos outros brasileiros, que derramaram sangue pela Independência do Brasil, realizado pelas mãos de Dom Pedro I. Veja emoção, coragem, aventura, drama e amor na maior história brasileira jamais filmada. Uma obra-prima às margens plácidas do Ipiranga e no país do salve, salve, onde, as vezes, as coisas só se conseguem no grito. Descubra a imperiosa participação de Tarcísio Meira, como Dom Pedro I, e de Glória Menezes como a Marquesa de Santos. Numa produção também heróica de Oswaldo Massaini, com uma direção firme e competente de Carlos Coimbra. Independência ou Morte. Uma história que virou filme, ou um filme que fez história.

Maçonaria:
Cenas da Iniciação de Dom Pedro, do discurso de Gonçalves Ledo no Palácio do Lavradio, do fechamento do Grande Oriente.





0 Comentários: