FACEBOOK
CONTATO
FEED
YOUTUBE
TWITTER
LINKEDIN
EnglishFrenchGermanSpainItalianRussian

O Rosacruz Dr. John Dee

Print Friendly and PDF



IOK ­Monografia Pública
O Rosacruz John Dee
Pelo Prof. Dr. R. D. Pizzinga, 7Ph.D. (*)
Membro dos Iluminados de Kemet

http://ordoilluminatorum.net/

“Ó IHVH Sabaoth, ó Criador de todas as coisas: ensina-­me a perceber e a compreender corretamente.
Tua Sabedoria é tudo o que eu desejo.
Fixa Tua Palavra em meu ouvido, ó Criador de todas as coisas.
E fixa Tua Sabedoria em meu Coração.”
- John Dee

Retrato do Dr. John Dee (Frater Velado 2004CE)

Monografia Pública de Illuminates Of Kemet, Brasil (IOK­-BR) examina alguns pensamentos, reflexões e ensinamentos do místico medieval John Dee (1527 – 1608) – um verdadeiro Adeptus Exemptus[1] que esteve historicamente vinculado ao Movimento Rosacruz de seu tempo e que é especialmente estudado na Golden Dawn e por interessados na chamada Magia Enochiana. Alquimista, advinho, astrônomo, astrólogo, geógrafo e ocultista além de matemático ele foi guru da Rainha Elizabeth. Uma de suas obras mais herméticas e difícil de ser interpretada é a “Mônada Hieroglífica”, na qual é destacada a influência dos signos e a importância do Sol e da Lua para a Mônada, em conjunção com a proporção decimal da Cruz, que, segundo Alexander Roob, remete para os Quatro Elementos, mas também para o nascimento, para a crucificação e para a ressurreição. Todos os rituais descritos por Dee têm um fundamento cabalístico, trazendo conhecimentos de grande importância para os estudiosos. Dee também sempre advertiu sobre a importância central da Matemática, enfatizando a maneira com que ela influenciava as outras ciências e artes, pois admitia que a Criação foi um ato de numeração de Deus.

Seu objetivo final era ajudar a levar adiante
uma religião unificada mundial com a recuperação da ruptura das igrejas católica e protestante e recapturar a Teologia pura dos antigos. Da “Mônada Hieroglífica” – uma combinação de disciplinas cabalística, alquímica e matemática, por meio das quais o adepto acreditava que poderia alcançar um profundo discernimento da Natureza e a visão de um mundo divino para além da Natureza –, na verdade, a mais importante obra de John Dee, mas não só da Mônada Hieroglífica, retirei alguns fragmentos para compor este trabalho.


Escorço Biográfico

JOHN DEE (Londres, 13 de julho de 1527 – Richmond upon Thames, 1608 ou 1609) foi um matemático, astrônomo, astrólogo, geógrafo e conselheiro particular da rainha Elizabeth I. Devotou também grande parte de sua vida à Alquimia, à adivinhação e à Filosofia Hermética. Dee perscrutou os mundos da ciência e da magia, e previu as seguintes intenções posteriores: microscópio, telescópio, navios à
propulsão de motores, automóveis e máquinas voadoras. Um dos homens mais instruídos de seu tempo, já lecionava na Universidade de Paris antes de completar trinta anos.

Era um divulgador entusiasmado da Matemática, um
astrônomo respeitado e um perito em navegação, treinando muitos daqueles que conduziriam as viagens exploratórias da Inglaterra. Ao mesmo tempo, estava profundamente imerso na Filosofia Hermética e na chamada magia angélica, e devotou a última terça parte de sua vida quase que exclusivamente a este tipo de estudo.

Para Dee e para muitos de seus contemporâneos, estas atividades não eram contraditórias, mas aspectos de uma visão consistente do mundo.

Dee estudou na então Escola Chelmsford Chantry – de 1543 a 1546 –, St. John's College, em Cambridge. Suas grandes habilidades foram logo reconhecidas, e foi aceito entre os membros-fundadores do Trinity College de Cambridge. No fim da década de 1540 e no começo da de 1550, ele viajou pela Europa, estudando em Louvain e em Bruxelas e lecionando em Paris.

Estudou com Gemma Frisius e tornou-se amigo próximo do cartógrafo Gerardus Mercator. Retornou à
Inglaterra com uma coleção importante de instrumentos matemáticos e astronômicos.

Quando Elizabeth assumiu o trono, em 1558, Dee tornou-­se seu conselheiro para questões astrológicas e cientí­ficas, inclusive tendo escolhido o dia da cerimônia de coroação. Da década de 1550 à de 1570, serviu como um conselheiro em viagens de descoberta da Inglaterra, fornecendo auxílio técnico na navegação e o apoio ideológico à criação de um Império
Britânico (Dee foi o primeiro a usar o termo).

Em 1564, inspirado na Steganographia (alfabeto secreto) de Jean Tritheme (1462 – 1516), uma figura da Renascença germânica que foi um dos mestres de Paracelso (1493 – 1541), Dee escreveu o tratado hermético Monas Hieroglyphica (A Mônada Hieroglífica), uma interpretação cabalística exaustiva de um glifo (figura que dá um tipo de característica particular a um símbolo específico, frequentemente gravada ou cinzelada em relevo) criado por ele mesmo, numa tentativa de expressar a unidade mística de toda a criação. Este trabalho foi altamente valorizado por muitos dos contemporâneos de Dee, mas a perda da tradição oral secreta de Dee tornou o trabalho difícil de ser interpretado nos dias atuais.


Glifo de John Dee (Monas Hieroglyphica)

No começo da década de 1580, crescia a insatisfação de Dee com seu pouco progresso em aprender os segredos da Natureza. Começou a se voltar para o sobrenatural como meio de adquirir conhecimento. Especificamente, tentou entrar em contato com anjos através do uso de uma bola de cristal, que agisse como um intermediário entre Dee e os anjos. As primeiras tentativas de Dee não foram satisfatórias, mas em 1582, encontrou-se com Edward Kelley[2], que o impressionou extremamente com suas habilidades. Dee pôs Kelley a seu serviço e começou a devotar todas as suas energias a, por assim dizer, suas perseguições sobrenaturais. Estas conferências espirituais eram conduzidas sempre após períodos de purificação, de preces e de jejum, pois Dee estava convencido dos benefícios que ambos poderiam trazer à Humanidade. Dee dizia que os anjos lhe ditaram muitos livros desta maneira, alguns em uma espécie de língua angélica ou enochiana.

Dee terminou seus dias desprezado por seus companheiros por ser considerado um mago maligno. Saiu de Manchester em 1605. Nesta época, Elizabeth já morrera, e James I, antipático a qualquer coisa relacionada ao sobrenatural, não lhe auxilou de forma alguma. Dee passou seus últimos anos de vida na pobreza, em Mortlake, onde morreu ou no fim de 1608 ou início de 1609. Infelizmente, tanto sua lápide quanto qualquer documento que ateste seu óbito são desconhecidos. Seja como for, alguns ocultistas acreditam que Dee, tanto quanto Fernando Pessoa (1888 – 1935), tenha sido um membro da organização The Seven Circle, e fantasiam que também, presumidamente, tenha sido um agente infiltrado sob o código 007, um Mestre Secreto, acompanhado de seu pupilo, o famoso escritor Sir Francis Bacon. Por isto, é considerado meio que o primeiro James Bond. Presentemente, Dee é visto como um estudioso sério, e apreciado como um dos homens mais instruídos de seus dias.

Alguns livros famosos do Dr. John Dee:

# “Five Books of Mystery” (”Mysteriorum Libri Quinque”)
# “The Rosie Crucian Secrets”
# “Angelic or “Enochian” script.
# “Mysteriorum Liber Sextus et Sanctus” (”Liber Loagaeth”), livro que, segundo Dee, lhe teria sido revelado pelos anjos.
# “Index Verborum” of the “Angelic Language” from Liber Loagaeth
# “Compendium Heptarchiae Mysticae”
# “De Heptarchia Mystica”
# “Ordines Descendens”
# “Tuba Veneris” (’The Trumpet of Venus’)
# “Perfect Art of Navigation”
# “The Hieroglyphic Monad”
# “The Consecrated Little Book of Black Venus”
# “Mathematicall Praeface to the Elements of Geometrie of Euclid of Megara”
# “Propaedeumata Aphoristica” (livro sobre Astronomia)
# “Liber Scientiae Auxilii et Victoriae Terrestris”

Pensamentos, Reflexões, Ensinamentos

Eu era tão intensamente aplicado nos estudos que, naqueles anos, eu
seguia inviolavelmente a seguinte rotina: dormir só quatro horas por noite; uma pausa de só duas horas a cada dia para comer e beber (com algum recreio depois), e nas outras dezoito horas (exceto pelo tempo de ir e permanecer no serviço divino) eu passava em meus estudos e aprendizado.


O termo Geometria, segundo Dee, tem uma excessiva conotação terrestre. Dee sugeriu em troca ‘Megetologia’, não se arrastando no chão e arregalando os olhos com varas, réguas ou linhas, mas elevando o Coração acima dos céus por linhas invisíveis e raios imortais, encontrando reflexos da Luz Incompreensível, e produzindo, assim, alegria e perfeição inenarráveis.

Para Dee, a Deidade manifesta e mantém o mundo através do número. A numeração, então, é a criação de tudo. E a contínua numeração de todas as coisas é a conservação na existência… A constante lei dos números está enraizada nas coisas naturais e nas coisas sobrenaturais, e está prescrita para todas as criaturas, sendo guardada inviolavelmente.

A Matemática não é simplesmente uma matéria a ser dominada, mas, antes, um modo de vida a ser consumado na ofuscante Luz da Deidade.

Um verdadeiro entendimento da Ciência e da Matemática fornecerá os subsídios para uma religião global de amor e de tolerância.

Tabela Sagrada de John Dee

O ponto no Centro do Sol é o ponto de onde derivam todas as linhas e círculos. Esta é a primeira e mais elevada manifestação da atividade divina, e, por isto, é o Um.

Podemos nos aproximar do interior, da profundeza e da visão de todas as distintas virtudes, naturezas, propriedades e formas das criaturas. E também ir mais longe, subir, escalar, ascender e atingir (com as asas da especulação) em espírito, para contemplar o Espelho da Criação, a Forma das Formas, o Número Exemplar de todas as coisas numeráveis, tanto visíveis como invisíveis, mortais e imortais, corpóreas e espirituais.

Sei perfeitamente bem que tem havido certos homens que, através da arte dos escaravelhos, dissolveram o ovo da águia e sua casca com pura albumina, e, com isso, fizeram uma mistura de tudo… Com isto, quero dizer que se completou a grande metamorfose do ovo… Quem se dedica sinceramente a estes mistérios verá com clareza que nada pode existir sem a virtude de nossa Mônada Hieroglífica.

Nada é capaz de existir sem a virtude da Mônada Hieroglífica.

A única coisa que me aterroriza é depender de outra pessoa para ser feliz ou de me abandonar à paixão.

Em verdade, se forçarmos a Natureza engenhosamente por meio dos princípios da pironomia[3], mudanças maravilhosas podem ser produzidas por nós nas coisas naturais. E chamo de Natureza tudo que tenha sido criado.

Oh!, confortante sedução! Oh!, arrebatadora persuasão lidar como uma Ciência cujo assunto é tão antigo, tão puro, tão excelente, tão acima de todas as criaturas, tão usada pelo Altíssimo e pela Sabedoria incompreensível do Criador na criação particular de todas as criaturas, em todas as suas partes distintas, propriedades, naturezas e virtudes, por ordem e mui absoluto número, trazidas do Nada para as Formalidades de seu ser e estado![4]

Pelo número, um caminho é obtido para a busca e a compreensão de todas as coisas possíveis de serem conhecidas.

Aquele que procura nas criaturas propriedades e virtudes maravilhosas encontrará apenas a causa para glorificar o Eterno e Altíssimo Criador.

Aquele que não procura nenhum ganho ou glória das mãos mundanas, mas somente das Mãos de Deus, busca o Tesouro da Sabedoria Celestial e o Conhecimento de Mãos Puras.


Ó IHVH Sabaoth, ó Criador de todas as coisas: ensina-me a perceber e a compreender corretamente. Tua Sabedoria é tudo o que eu desejo. Fixa Tua Palavra em meu ouvido, ó Criador de todas as coisas.
E fixa Tua Sabedoria em meu Coração.
Afastai-vos da dúvida! Arrancai de vós a suspeita sobre nós, pois somos criaturas de Deus que reinaram, reinam e reinarão para sempre. Todos os nossos mistérios vos serão dados a conhecer.

O Filho de Deus nunca conseguiu converter a todos, assim como nem todos que O ouviram acreditaram n’Ele. Por isto, onde está o Poder de Deus, ali também está Satã.

Eu habitarei entre vós… Eu sou acima de BINaH e abaixo de MaLKhUTh…

Eu sou a Filha do Conforto!

Homo Homini Deus…[5] Homo Homini Lupus…[6]

É pela linha reta e pelo círculo que o primeiro e mais simples exemplo e representação de todas as coisas devem ser demonstrados, sejam essas coisas inexistentes, sejam apenas ocultas sob o véu da Natureza.

Não podem ser produzidos artificialmente nem o círculo sem a linha, tampouco a linha sem o ponto. É, portanto, pela virtude do ponto e da Mônada que todas as coisas começam a emergir a princípio. Aquilo que é afetado na periferia, não importando quão grande seja, não pode de forma alguma carecer do suporte do ponto central.

E, de fato, eu concluí a ideia do círculo solar adicionando um semicírculo à Lua, pois a manhã e o entardecer foram o primeiro dia, e foi, portanto, no primeiro dia que a Luz dos Filósofos foi feita.

Todo o Magistério depende do Sol e da Lua.

Cara a ti é tua esposa; mais cara ainda é a Sabedoria.

Cara a ti, acima de tudo, sou eu. Embora escolhido, tremes, e por hesitar, pecas. Não hesites mais em conhecer a mente e a carne; mas obedece-me, pois eu sou tua líder, e a criadora de todos os espíritos. Todas estas coisas são de mim, e a ti são permitidas.

Que quem não entende ou se cale ou aprenda.


Sobre o Grimorium Imperium, livro raríssimo escrito por Abdul alHazred (o mesmo autor de O Necronomicon): … Quando eu realizei os rituais descritos neste livro, então eu realizei algo importante, pois eis aqui o livro mais poderoso já escrito pelas mãos de um mortal. Mas eu advirto: tenha cuidado! O livro prendeu-me. Tinha vontade de me devotar completamente à ele. Descobri que fiquei obcecado por ele. Todos os meus outros escritos pararam e todos os temas humanos perderam a importância para mim. Este desejo pelo livro me fez devotar-lhe muitas de minhas horas acordado, e eu experimentei muitas coisas horríveis, mas eu encontrei também muitos segredos – os mais secretos. Meu desejo era ter mais tempo neste plano mortal para estudar este livro, porque reconheço, agora, que contém a chave de muitos mistérios.


Em geral, a Cruz deve ser composta de ângulos retos, já que a natureza da justiça exige a perfeita igualdade das linhas usadas na interseção.

A Cruz não é um agente passivo. Ela protege os puros de coração e tem aparecido muitas vezes no ar, acima de nossas assembléias, confundindo e dispersando os poderes das trevas.

LUX – a Palavra final do ‘Magisterium’ – união e conjunção do Ternário dentro da Unidade da Palavra.

O Quatenário está oculto no Ternário.

Se o que está oculto nas profundezas da Mônada for trazido à luz, ou, ao contrário, se as partes primárias que são exteriores em nossa Mônada forem fechadas no centro, vereis até onde a transformação filosófica pode ser produzida.

Os Mistérios da Mônada não podem ser extraídos, a menos que se conheça a farmácia desta mesma Mônada. E estes Mistérios não serão revelados, a não ser aos Iniciados.


Não será absurdo representar o mistério dos Quatro Elementos, no qual é possível reduzir cada um à sua forma elementar, por quatro linhas retas estendendo-se em quatro direções contrárias a partir de um ponto comum e indivisível. Segundo Paracelso, o céu é uma concha que separa o mundo do Céu Divino, tal como a casca do ovo. A gema significa a esfera interior e a clara a superior ou exterior. A gema, Terra e Água; a clara, Ar e Fogo. Oh! Deus! Perdoa-me se pequei contra Tua Majestade revelando tão grandes mistérios em meus escritos que devem ser lidos por todos; mas creio que apenas os que são realmente dignos o compreenderão. Digno és Tu, ó Deus, de receber glória, honra e virtude, porque Tu criaste todas as coisas. Os olhos vulgares hão de enxergar apenas a obscuridade e se desesperarão consideravelmente.

NOTAS DO AUTOR:

1. Adeptus Exemptus, segundo o poeta português Fernando Pessoa, ligado ao Rosacrucianismo, é o mais alto grau esotérico-iniciático e quem o atinge pode ser descrito como “Mago, Santo e Gênio”. Esse título esotérico foi adotado pelo mago irlandês Aleister Crowley (Mestre Therion) em suas Ordens iniciáticas, como a Astrum Argentum. Adeptus Exemptus é também o grau 7º=4º da Golden Dawn, Ordem Rosacruz mágico-alquímica baseada na Kabbalah e que importou signos de Kemet (Antigo Egito). Na GD esse não é o mais alto grau, mas apenas o terceiro, como se segue:
Adeptus Minor 5º=6º Adeptus Major 6º=5º Adeptus Exemptus 7º=4º Magister Templi 8º=3º Magus 9º=2º
2. Edward Kelley foi um auxiliar de John Dee, considerado por Dee uma pessoa sensivelmente capaz de receber mensagens espirituais ao ver alguns cristais ou pedras refletidas no Sol. Esta arte é chamada de Cristalomancia. Através dessa arte ambos buscavam conseguir a famosa Pedra Filosofal. Acredita-se que, sob o comando do rei Rodolfo II – da casa dos Habsburgos, imperador do Sacro Império Romano, rei da Boêmia e rei da Hungria – Kelley tenha conseguido produzir a Pedra, mas logo depois foi torturado e executado pelo rei por não revelar a fórmula da Pedra Filosofal. Rodolfo II acabou enlouquecendo em suas tentativas de encontrar a Pedra e perdeu o trono para seu irmão Matias da Germânia. 3. Pironomia é o conjunto de processos que visa regular a temperatura nas reações químicas. 4. Aqui, vale a pena refletir sobre a máxima de Boécio apresentada em De Consolatione Philosophiæ, V, 1: Nihil ex nihilo exsistere vera sententia est. Que nada se origina do nada é uma afirmação verdadeira. E também sobre estas três máximas: 1ª) Nihil novum sub Sole. Não há nada de novo sob o Sol; 2ª) Nihil novi sub Luna. Não há nada de novo sob a Lua; e 3ª) Nihil novum super Terram. Não há nada de novo sobre a Terra. 5. O homem é o Deus do homem. 6. O homem é o lobo do homem. 7. A morte é o princípio da Vida; a vida é o princípio da morte. A morte e a vida vêm de um Centro que não vive nem morre. (D. A. Freher, Paradoxa Emblemata, manuscrito do século XVIII). Para os estudantes de Rosacrucianismo a mais importante obra do Dr. John Dee é um livro de 148 páginas, em Inglês, "The Rosie Crucian Secrets" que nossa Organização mantém online há vários anos e que você pode ler e/ou baixar daqui: http://svmmvmbonvm.org/downloads/rcsecretsdee.pdf

NOTA DO EDITOR:

(*) O Professor Dr. Rodolfo Domenico Pizzinga é Doutor em Filosofia, Mestre em Educação, Professor de Química, Membro da Ordem de Maat, Iniciado do Sétimo Grau do Faraó, Membro dos Iluminados de Kemet, Membro da Ordem Rosacruz AMORC e Membro da Tradicional Ordem Martinista. É autor de dezenas de monografias, ensaios e artigos sobre Metafísica Rosacruz. Seu web site pessoal é: paxprofundis.org Visite o Site Oficial dos Iluminados de Khem, que disponibiliza Monografias Públicas para a Nova Era Mental: http://svmmvmbonvm.org/aum_muh.html Monografia produzida por IOK-BR com OpenOffice.org 3.1. 0

Linux Ubuntu 9.04 the Jaunty Jackalope - Gnome 2.26.1

Encriptada com Adobe Acrobat Professional

Publicada em Outubro de 6249 AFK (2009CE)

Distribuição (gratuita) permitida

0 Comentários: