FACEBOOK
CONTATO
FEED
YOUTUBE
TWITTER
LINKEDIN
EnglishFrenchGermanSpainItalianRussian

Conteúdo dos sonhos decifrado por computador (Por Rachel Ehrenberg)

Print Friendly and PDF


Um computador pode decodificar o material dos sonhos. Ao comparar a atividade cerebral durante o sono com os padrões de atividade coletados enquanto os participantes do estudo olhavam para certos objetos, um
computador aprendeu a identificar alguns conteúdos da fantasia do inconsciente das pessoas.

"É um trabalho impressionante", diz o psicólogo cognitivo Frank Tong da Universidade Vanderbilt, em Nashville, que não estava envolvido na pesquisa. "É uma demonstração de que a atividade cerebral durante o sonho é muito semelhante à atividade durante a vigília."

O trabalho, publicado em 4 de abril na revista Science por pesquisadores japoneses liderados por Yukiyasu Kamitani do Advanced Telecommunications Research Institute International, aumenta um pouco o escasso conhecimento de como o cérebro constrói sonhos, diz Tong. A pesquisa pode levar a uma melhor compreensão do que o cérebro faz durante os diferentes estados de consciência, como aqueles experimentados por alguns pacientes em coma.

Os sonhos são como uma caixa preta difícil de estudar. Experimentos com camundongos revelaram aspectos do sono e do sonho, tal como a forma como as experiências contribuem para a formação de memórias. Mas um rato não pode dizer o que sonhou. E a fase do sono, que é rica em sonhos - o sono REM - geralmente entra em ação cerca de 90 minutos depois que uma pessoa dorme, tornando-se demorado coletar dados sobre sonhos. O barulhento fMRI da máquina de digitalização cerebral não ajuda.

Para contornar esses problemas experimentais, os pesquisadores registraram a atividade do cérebro em três voluntários adultos do sexo masculino durante os primeiros estágios do sono. Depois que os indivíduos tinham cochilado, foram repetidamente despertados e lhes pedido relatórios detalhados sobre o que tinham visto durante o sono. Em um exemplo, um participante disse: "Bem, havia pessoas, cerca de três pessoas, dentro de uma espécie de hall. Havia um homem, uma mulher e talvez uma criança. Ah, era como um menino, uma menina e uma mãe. Eu não acho que houve qualquer cor."

Depois de reunir pelo menos 200 desses relatórios a partir dos três homens, os pesquisadores usaram um banco de dados lexical para agrupar os objetos sonhados em categorias grosseiras, como a rua, móveis e uma menina. Em seguida, os participantes do estudo olharam imagens de coisas nessas categorias, enquanto seus cérebros eram escaneados novamente.

Algoritmos de computador classificados por esses padrões de atividade cerebral, ligando padrões específicos com os objetos.

Quando o computador voltou a fazer varreduras tomadas durante o sonho, ele fez um trabalho muito bom de distinguir alguns dos sinais, identificando se um sonho continha um livro ou uma menina. Em média, o computador poderia acertar qual dos objetos tinha aparecido num sonho 70% do tempo, uma taxa que é muito melhor do que seria esperada pelo acaso.

"Ser capaz de obter dados suficientes para fazer este tipo de análise é realmente impressionante", diz Russell Poldrack, especialista em neuroimagem da Universidade do Texas em Austin.

O estudo reforça a noção de que a imagem viva de sonhos, não importa o quão fantástico, é tão real quanto a vida de vigília, diz Kamitani, pelo menos do ponto de vista do cérebro. Mais pesquisas poderão revelar se o mesmo é verdade sobre os outros sentidos sonhados, como sons ou emoções.

Depois de monitorar a atividade do cérebro de um homem enquanto ele olhava vários tipos de objetos, os cientistas treinaram um computador para decodificar padrões de atividade cerebral registrados enquanto o homem sonhava. O computador pode distinguir entre os muitos objetos sonhou.

FONTE: SCIENCE NEWS

0 Comentários: