FACEBOOK
CONTATO
FEED
YOUTUBE
TWITTER
LINKEDIN
EnglishFrenchGermanSpainItalianRussian

Como ser uma bruxa — por Jason Louv

Print Friendly and PDF


Apesar dos meus melhores esforços em contrário, eu recebo pedidos consistentes para falar sobre "magia" ou, como alguém com uma falta de compreensão pode colocá-lo, "como ser uma bruxa." Isso é algo que eu tenho relutado em fazer nos últimos seis ou sete anos, porque é um tema que é tão facilmente mal interpretada, e que tão facilmente dá a impressão imediata de ilusionismo e faz lembrar de seres em vestes negras saindo na praça de alimentação do shopping local ou adeptos da Nova Era com reivindicações absurdas. Mas não é assim. Debaixo dessa camada gigante de loucura, desorientação e mal-entendidos, Magick é, na minha opinião, uma das grandes jóias da cultura ocidental. É a tradição que alguns dos grandes gênios da história ocidental, inclusive os "criadores da ciência" estavam envolvidos, em especial Francis Bacon, Daniel Dafoe, William Butler Yeats, Dr. John Dee, Giordiano Bruno, Pitágoras e muitos, muitos outros, sejam estes lembrados pela história ou não.

"Magia" é a sagrada tradição de longa data do Ocidente, da mesma forma que o esotérico yoga ou o budismo tibetano são tradições sagradas do Oriente. Em termos práticos, é o caminho para provar o seu crescimento espiritual ritualmente, no mundo cotidiano, porque é o que tende a ser saudável para as pessoas em culturas ocidentais.

"Abandonar a vida" e sentar-se no topo de uma montanha meditando pelo resto de sua vida é um caminho do oriente. É uma consequência da cultura asiática e um caminho que pode funcionar muito bem no contexto cultural do hinduísmo ou budismo. Mas as pessoas que vivem nos Estados Unidos, no Reino Unido, na Europa ou em outros locais "ocidentais", não vivem em uma cultura que suporta isso. (Basta experimentá-lo!)

Vivemos em uma cultura que força a ação no mundo, onde o caminho para a independência, auto-confiança e felicidade tende a confiar em arregaçar as mangas e receber o material feito no mundo real. Enquanto a tradição ocidental incorpora uma série de meditação, não é um caminho que permite escapar da realidade. É o caminho do confronto direto com a realidade, as circunstâncias de sua vida, e usar essas circunstâncias como matéria-prima para o seu crescimento espiritual. Considere a lenda da alquimia, em que o praticante é dito como tendo o poder "mágico" de transformar chumbo em ouro. Isto é o que se trata: pegar o chumbo, o que representa o mundano, e transformá-lo em ouro. Tomar a matéria bruta da existência e fazer algo incrível com isso.

A sagrada tradição ocidental tem sido uma tradição underground nos últimos dois milênios por causa da perseguição da Igreja Católica e de outras instituições religiosas (apesar de que, ironicamente, muitos de seus seguidores estivessem, historicamente, buscando uma comunhão direta com deus, isso talvez representasse uma ameaça ao monopólio do sacerdócio). Tem serpenteava o seu caminho através de nossa história e se manifesta sob vários nomes e em vários momentos, como o gnosticismo, catarismo, feitiçaria, alquimia, cabala, magia enochiana, a maçonaria, o rosacrucianismo, a Golden Dawn, thelema, Chaos e muitas outras formas.

À tradição ocidental é muitas vezes dado o nome "Magick". Isso é lamentável, em alguns aspectos, porque evoca ideias fantasiosas de "poderes mágicos" e, imediatamente, faz as pessoas associarem o mysterium tremendum com as seguintes coisas que são "tretas": o satanismo absurdo e fantasioso; membros da Nova Era que tentam extorquir quantias de idiotas; pessoas falsamente auto-intituladas como magistas que tendem apenas a acumular jóias, livros e roupas espalhafatosas; pessoas que dizem "Ei, você não tem que fazê-lo da maneira mais difícil", apesar de nunca ter feito isso de maneira alguma; pessoas que usam a espiritualidade para avançar em uma agenda pessoal, cultural, financeira ou política; servidão religiosa; servidão para os "maus espíritos"; pessoas que apenas usam uma grande quantidade de drogas e concluem que são especiais; assustadores pervertidos que atraem estudantes impressionáveis ​para antros suburbanos com a promessa de "poder real"!

Magia não tem nada a ver com isso.

Ela tem a ver com o trabalho duro, perseverança, estudo, disciplina, auto-sacrifício, anos e anos de doloroso aprendizado de tentativa e erro, a humildade, a constante adaptação e evolução, a devoção a sua própria integridade, aprender a deixar ir.

Não há regras rígidas e rápidas sobre como fazer isso e os detalhes são diferentes para cada indivíduo. Mas existem diretrizes e práticas que ajudam. Então, "Como ser uma bruxa?" Em termos gerais, você vive uma vida mágica por:
1. Disciplinar o seu corpo, mente e espírito;
2. Descobrir pra que você está aqui, sua finalidade exclusiva de existência (note que este é um continuum, e evolui ao longo do tempo);
3. Usando a disciplina desenvolvida na Etapa 1 para realizar a Etapa 2, o entendimento de que quando você faz sua Verdadeira Vontade, ou envolve-se na sua razão de existir, a vida faz muito mais sentido.
Não é necessariamente mais fácil, mas é repleto de significado, uma grande conquista em um mundo onde as pessoas estão à deriva em mares de falta de sentido sem fim.


Aqui está um par de livros sobre o assunto:
1. Generation Hex: um guia para iniciantes nas fases iniciais do treinamento mágico, em um contexto do século 21. (Generation Hex é um livro escrito por Jason Louv e publicado por The Disinformation Company)
2. Thee Psychick Bible: o arquivo total do Thee Temple ov Psychick Youth, que contém uma coleção de textos de "ocultura" de Genesis P-Orridge e imagens do TOPY, grupo magick ativo nas décadas de 80 e 90.

Além disso, eu recomendo três livros principais para explorar a tradição esotérica ocidental. Estes livros contêm uma quantidade enorme de material, organizado de forma adequada, que milhares de outros livros estão muito aquém em termos de informação bruta.

1. Nível Iniciante: Liber Null & Psychonaut, Peter J. Carroll. As práticas de ritual mágico despidas. Bom para pegar o básico do básico.
2. Nível Intermediário: The Golden Dawn, Israel Regardie. Contém o corpus ritual da Golden Dawn, o grupo vitoriano de magia do século 19 que contou com muitos dos principais motores culturais do país entre seus membros. Esta é uma síntese da maior parte do que veio antes e a fundação da maior parte do que veio depois.
3. Nível Avançado: The Mystical and Magical System of the A.’.A.’. (O sistema místico e mágico da A.'.A.'.), James A. Eshelman. A condensação e organização do sistema de Aleister Crowley, que levou o material Golden Dawn, acrescentou o misticismo oriental e magia sexual, e corrigiu a coisa toda à décima potência. Juntamente com isso, você vai querer cópias de Gems From the Equinox e Magick: Liber ABA de Crowley.

Para um olhar para o lado oriental das coisas, em um formato acessível para os ocidentais: Autobiography of a Yogi (Autobiografia de um Iogue) por Paramahansa Yogananda.

Boa sorte, fique longe de problemas, e não deixe ninguém te dizer o que exatamente deve fazer...

Fonte: Ultraculture

0 Comentários: