FACEBOOK
CONTATO
FEED
YOUTUBE
TWITTER
LINKEDIN
EnglishFrenchGermanSpainItalianRussian

Gylfaginning (O Engano de Gylfi — A Alucinação de Gylfi)

Print Friendly and PDF


Os mitos e lendas dos antigos escandinavos sobreviveram melhor do que os de qualquer outro povo germânico. Isto é possível, em grande parte, graças aos islandeses, que, não muito tempo depois de terem sido convertidos ao cristianismo, desenvolveram a mais extensa literatura vernácula de qualquer outra sociedade medieval. A princípio seus escritos estavam amplamente preocupado com materiais religiosos cristãos, mas com o tempo eles se tornaram interessados em escrever sobre sua própria cultura e história também.

O mais famoso escritor medieval islandês foi Snorri Sturluson (1179-1241). Ele escreveu uma série de livros, incluindo um mais conhecido como Edda em Prosa, que contém uma grande quantidade de material mitológico escandinavo. Snorri era um grande poeta, bem como um grande escritor, e ele preferia um tipo antiquado de poesia muito usada na escandinava pré-cristã. Durante os tempos de Snorri, no entanto, a Igreja Cristã fortemente desencorajava tudo o que estava relacionado com o passado pagão. Parcialmente devido a isto, o tipo de poesia que Snorri gostava foi se tornando impopular e foi sendo substituído por novos estilos de poesia.

Snorri escreveu o Edda em Prosa como um manual de instruções sobre como escrever no velho estilo de poesia que ele gostava. Ele incluiu muitos dos antigos mitos e histórias para que as pessoas soubessem como usá-las na poesia. Como cristão, Snorri não quis apresentar os mitos como se ele próprio acreditasse neles. Então ele começou o Edda em Prosa com uma história de sua autoria sobre um rei da Suécia chamado Gylfi que se disfarça como um viajante chamado Gangleri e parte em uma viagem para visitar os Æsir, e adquirir conhecimento a partir deles. Os Æsir ou Ases, segundo a mitologia nórdica, é um clã de deuses que residem em Ásgarðr (Asgard), ou seja, a Terra dos Æsir (As = Aesir. Gard = Terra ), mas Christian Snorri descreveu-os simplesmente como homens muito poderosos. Quando Gylfi / Gangleri encontrou os Æsir, e fazê-lhes muitas perguntas sobre a criação do mundo e os seres que viveram na mesma. Os senhores, responderam com muitos mitos e histórias. Snorri escreve que os Æsir; estavam tentando enganar Gylfi / Gangleri para acreditar nessas histórias, desta forma ele pôde escrever tudo sobre os antigos mitos pagãos, sem entrar em conflito com a Igreja Cristã. Por isso, a primeira seção do Edda em Prosa é chamado de "O Engano de Gylfi" (ou Gylfaginning).

Snorri explica o material mitológico através de perguntas do Gylfi / Gangleri para os Æsir, e tendo um dos Æsir; respondido com uma longa história ou alguma outra informação mitológica.

É difícil dizer como genuinamente são os mitos sobre os quais Snorri escreveu. Até o momento em que Snorri escreveu, o povo islandês já era cristão a mais de duzentos anos e muitas das velhas histórias podem terem sido esquecidas ou alteradas. Snorri provavelmente tentou remendar muitos pedaços de mitos juntando-os como melhor podia. Snorri, no entanto, bebeu muito da Bíblia e estudos clássicos (grego e romano) e esse conhecimento pode ter afetado a forma como ele reconstruiu os mitos. Ele pode até ter criado algumas coisas! Devido a isso, é preciso ter em mente, ao ler seu material, que os mitos que estão lendo podem não ser exatamente o mesmo que os mitos contados pelos escandinavos pré-cristãos.

Faça o download do O Gylfaginning em pdf.

FONTE: Harvard

0 Comentários: