FACEBOOK
CONTATO
FEED
YOUTUBE
TWITTER
LINKEDIN
EnglishFrenchGermanSpainItalianRussian

A TEORIA E A PRÁTICA DA MAGIA SATÂNICA (Definição e Propósito)

Print Friendly and PDF


image A definição de mágica, usada neste livro é: “A mudança em situações ou eventos de acordo com a própria vontade, que poderia, usando meios normalmente aceitos, não ocorrerem”. Isto seguramente deixa uma grande área para a interpretação pessoal. Seria dito por alguns, que estas instruções e procedimentos nada mais são do que psicologia aplicada ou fato cientifico, chamado por terminologia mágica - até que eles cheguem à passagem do texto que é “baseado no conhecimento não obtido cientificamente”. É por esta razão que nenhuma tentativa que tenha sido feita para limitar a explicação seguiu uma nomenclatura regulamentada. Mágica nunca é totalmente explicável cientificamente, mas a ciência sempre foi, num momento ou noutro, considerado mágica.

Não há nenhuma diferença entre magia “branca” e “negra”, exceto na hipocrisia pessoal, baseada na culpa e auto-ilusão do mago “branco” em relação a si mesmo. Na clássica tradição religiosa, a magia “branca” é realizada para propósitos altruístas, benevolentes e bons, enquanto a magia “negra” é usada para auto-engrandecimento, poder pessoal, e propósitos demoníacos. Ninguém na Terra promoveu estudos ocultos, metafísicos, iogues ou outro qualquer conceito “divino”, sem a gratificação do ego ou poder pessoal como objetivo. Justamente acontece que algumas pessoas preferem usar “hair shirts”, e outros veludo ou seda. O que é prazeroso para um, é aflitivo para outro, e o mesmo se aplica ao “bem” e ao “mal”. Cada praticante de feitiçaria está convencido que ele ou ela está fazendo a coisa “certa”.

Magia se encaixa em duas categorias, ritual ou cerimonial, e não ritual ou manipulativa. Magia ritual consiste na realização de uma cerimônia formal, tomando lugar, pelo menos em parte, dentro dos limites de uma área colocada à parte para estes propósitos num momento especifico. A principal função é isolar a adrenalina dissipada e outras energias emocionalmente induzidas, e convertê-las numa forca dinâmica transmissível. É puramente um ato emocional, antes que intelectual. Toda e qualquer atividade intelectual deve tomar lugar antes da cerimônia, não durante. Este tipo de magia é algumas vezes conhecida como “a alta magia”.

Magia não ritual ou manipulativa, algumas vezes chamada de “baixa magia”, consiste de um ardil ou fraude obtida através de vários artifícios ou situações planejadas, que, quando utilizados, podem criar “mudança, de acordo com a própria vontade”. Em outros tempos, poderia ser denominado fascinação, “glamour” ou mau olhado.

Muitas vitimas dos julgamentos de bruxaria não eram bruxas. Frequentemente as acusadas eram mulheres velhas excêntricas que estavam de algum modo senis ou não se conformavam com a sociedade. Outras foram mulheres excepcionalmente atrativas que viraram a cabeça dos homens no poder, e não eram responsáveis pelos seus avanços. As bruxas reais raramente eram executadas, ou mesmo trazidas a julgamento, pois elas eram proficientes na arte do encantamento e podiam enfeitiçar os homens e salvar suas próprias vidas. Muitas das bruxas verdadeiras estavam dormindo com os inquisidores. Esta é a origem da palavra “glamour”. O significado antigo para “glamour” era feitiçaria. A qualidade mais importante para a bruxa moderna é a sua habilidade de ser atraente ou utilizar “glamour”. A palavra “fascinação” tem uma origem oculta similar. Fascinação foi o termo aplicado para o olho do demônio. Manter a atenção fixa da pessoa, em outras palavras, fascinar, era sua maldição com o olho do demônio. Por essa razão, se uma mulher tinha a habilidade para fascinar o homem, era considerada como uma bruxa.

Aprender a utilizar efetivamente o comando do OLHAR é efetivamente uma parte integral do treinamento da bruxa ou feiticeiro. Para manipular uma pessoa, você deve primeiro ser capaz de atrair e prender sua atenção.

Os três métodos pelos quais o comando do olhar pode ser talentoso é a utilização do sexo, sentimento ou admiração, ou qualquer combinação deles. Uma bruxa deve, honestamente, decidir em qual categoria ela mais naturalmente se encaixa. A primeira categoria, a do sexo, é evidente. Se uma mulher é atrativa ou sexualmente encantadora, deveria fazer tudo no seu poder para tornar a si mesma o mais sedutora possível, desse modo usando sexo como a sua ferramenta mais poderosa. Uma vez que ela obteve a atenção do homem, pelo uso do seu apelo sexual, é livre para manipulá-lo conforme o seu desejo. A segunda categoria é o sentimento. Normalmente mulheres idosas se encaixam nesta categoria. Poderia incluir a moça insignificante que tipifica a bruxa, que pode viver numa pequena cabana e ser considerada pelas pessoas como sendo bastante excêntrica. Crianças são normalmente encantadas pela fantasia que este tipo de bruxa prove e adultos jovens procuram-nas por seus conselhos considerados sábios. Através da sua inocência, crianças podem reconhecer seu poder mágico. Por se adaptar à imagem da doce, pequena e velha senhora próxima à porta, ela pode utilizar a arte do engodo para cumprir os seus objetivos. A terceira categoria é o tema maravilhoso. Esta categoria se aplicaria à mulher que é estranha ou apavorante em sua aparência. Por fazer sua estranha aparência trabalhar para ela, pode manipular as pessoas simplesmente porque elas são temerosas das consequências de não fazerem o que ela pede.

Muitas mulheres se encaixam em mais do que uma destas categorias. Por exemplo, a jovem moça que tem uma aparência de inexperiência e inocência, mas ao mesmo tempo é muito sexy, combina sexo e sentimento. Ou a fêmea fatal que combina o apelo sexual com sinistra aparência pétrea, usa sexo e maravilha. Depois de avaliar suas qualidades, cada bruxa deve decidir em que categorias ou combinações de categorias ela se encaixa, e então utilizá-las da forma apropriada.

Para ser um feiticeiro de sucesso, o homem deve similarmente se encaixar na categoria apropriada. O homem elegante ou sexualmente apelativo poderia, naturalmente, se encaixar na primeira categoria - sexo. A segunda, ou categoria sentimental se aplicaria ao homem mais velho, que tem, talvez, uma aparência de elfo ou mago da floresta. O doce avô (frequentemente um velho sujo!) poderia também estar na categoria do sentimento. O terceiro tipo seria o que apresenta uma sinistra ou diabólica aparência. Cada um destes homens poderiam aplicar sua particular qualidade de comando do olhar, em muitos do mesmo modo que as mulheres previamente descritas.

Imagem visual utilizada para reação emocional é certamente o mais importante estratagema incorporado na pratica da baixa magia. Qualquer um que é tolo o suficiente para dizer “olhar não significa nada” está de fato iludido. Bons olhares não são necessários, mas “olhares” certamente são necessários!

Odor é um outro importante fator manipulativo na baixa magia. Lembre-se que os animais temem e desconfiam de qualquer um ou qualquer coisa que não sintam o cheiro. E mesmo quando possamos, como animais humanos, condenar muitos julgamentos baseados neste senso consciente, ainda estamos motivados pelo nosso senso de cheiro tão seguramente quanto os outros animais. Se você é um homem e deseja encantar uma mulher, permita que as secreções naturais do seu corpo penetrem imediatamente a atmosfera em volta de você e trabalhe num contraste animalístico com o vestuário da polidez social que você usa sobre o seu corpo. Se você, como uma mulher, deseja enfeitiçar um homem, não tema que você possa ofender simplesmente porque os óleos e fragrâncias da sua carne não tenham sido limpos, ou que o lugar entre as suas coxas não esteja seco e árido. Estes odores naturais são os estimulantes sexuais que a natureza, em sua mágica sabedoria, tem fornecido.

Os estimulantes do sentimento são aqueles odores que atrairão memórias agradáveis e nostalgia. O encantamento de um homem, através do seu estômago, é primeiro estabelecido pelo cheiro do cozimento! Um tipo de bruxa de “sentimento” encontrará nisto um dos charmes mais úteis de todos. Não é tão jocoso viver sobre a técnica do homem que desejou fascinar uma jovem dama que tenha sido expulsa de casa pelo seu jubilo infantil, que aconheceu em uma vila de pesca. Conhecendo os caminhos da baixa magia, ele cuidadosamente guardará alguns peixes nos bolsos da calça, e colherá as recompensas que o grande afeto pode frequentemente trazer.


A Bíblia Satânica - Anton Szandor LaVey - Traduzido por Morbitvs Vividvs.pdf

0 Comentários: