FACEBOOK
CONTATO
FEED
YOUTUBE
TWITTER
LINKEDIN
EnglishFrenchGermanSpainItalianRussian

Manifesto da Ordem do Lotus Negro (Dharmagupta)

Print Friendly and PDF





  Manifesto da Ordem do Lótus Negro



A Ordem do Lotus Negro (O.L.N)  é uma confraria de sacerdotes e sacerdotisas praticantes das Artes Mágicas dos Illuminati. A ordem em seus princípios doutrinários e metafísicos combina elementos da tradição oculta oriental principalmente da Kabalah, Budismo, Taoísmo e Hermetismo.  Nossas práticas iniciatórias mais importantes são realizadas através de ritos de Teurgia Cerimonial e neles invocamos os Deuses Antigos, Nirmanakayas (mestres ascensos), Anjos Planetários, Elementais e Daemons onde os membros são orientados a efetivar uma aliança com tais seres espirituais para obter um aumento de percepção espiritual, de magnetismo pessoal, de proteção e fortuna. Outro objetivo, igualmente importante, é  conduzir o iniciado ao despertar de seu Mestre Interior chamado na Índia de Bhavajananda ou Adi-Buddha, a raiz da Iluminação.

A ordem funciona em regime de Clã-Mágico, o que envolve uma iniciação formal e um pacto espiritual entre seus membros. A forma de transmissão-mágica é definida como 'parampara", i.e. um sistema de linhagem espiritual mestre - discípulo. 

Nós seguimos o "caminho antigo" que nos foi transmitido por nossos irmãos ancestrais (Mestres e Guias) nós os chamamos de "Guardiões da Tradição" mas em outros tempos Eles também ficaram conhecidos como os Sentinelas, os Imortais, os Vigias, os Filhos de Set e mais recentemente como Mestres Ascensionados. Todos fazem parte da Hierarquia de Mestres da Grande Fraternidade Branca (que no presente não está manifestada sobre a Terra), constituída, em parte, daquelas almas altamente desenvolvidas que atingiram aquele estágio do caminho da evolução espiritual que lhes confere a qualidade de membros do Governo Oculto do Mundo. 



A Ordem do Lótus Negro mantém seu próprio sistema teológico, litúrgico e de ordenação sacerdotal. 

O termo "sacerdote" é utilizado (como no Egito antigo) em sentido abrangente, sem relação com o sexo, mas referindo-se à capacidade e responsabilidade da pessoa nos Mistérios de nossa tradição. O ocultismo religioso da O.L.N não segue um livro sagrado e nem possui dogmas centrais no sentido de "verdades absolutas", apenas normas místicas e diretrizes gerais que fundamentam as bases comportamentais de seus membros. Aliás o sistema da O.L.N assume uma atitude mais filosófica do que propriamente religiosa na medida que seus iniciados jamais insistem que os membros recém-chegados "acreditem" em qualquer interpretação dogmática de suas vivências espirituais.


A filosofia da ordem aceita o princípio hermético que o Universo é uma Imagem Mental projetada pela Mente Suprema o que significa que o Universo Físico é a manifestação de uma Forma Pensamento criada por Deus (o Logos Demiurgo), um "Sonho de Brahma" por assim dizer, e que tudo se desvaneceria como um Sonho se a Mente de Deus deixasse de "pensar". Entretanto a ordem aceita que podemos influenciar o Demiurgo e transformar a nós mesmos em "demiurgos criadores de mundos ou universos mágicos".

A ordem ensina que para o Homem "escapar" ou libertar-se desse Universo Material ele precisa obter um tipo de CONHECIMENTO (Gnose) que leve a um grau de controle sobre o Universo Manifesto. Isso deve acontecer antes que o Homem deixe para trás o ciclo das encarnações sucessivas (Roda do Sansara) e "retorne" a Fonte de toda Luz, o Vazio (Sunya) do TAO último, a realidade última. Quando isso acontece em sua plenitude o Homem transforma-se em um representante da Hierarquia Oculta da Terra, um Nirmanakaya. A partir desse momento ele pertence ao circulo interior da humanidade e até mesmo a morte torna-se uma escolha consciente. 


A Fórmula dos Espíritos Planetários

Nós operamos de forma teúrgica (Alta Magia), o que significa colocar-nos em condições de sintonizar com os Seres de Alta Hierarquia Espiritual, para depois exercer domínio e dirigir as Hierarquias Inferiores em proveito de nossos objetivos. 


A ordem trabalha com a fórmula dos Espíritos Planetários ou Dhyan-Choans.  São estes os Elohim (deus/deusa) da Bíblia ou Divindades secundárias que surgem, ao impulso da manifestação, como experiências passadas ou de outros "Dias de Brahma". 


Os Espíritos Planetários ou Dhyan Choans foram os primeiros Arquitetos do Universo, dos sistemas planetários, do planeta, dos povos, das religiões etc. Eles constituem, coletivamente, o MENTAL DIVINO a IDEAÇÃO CÓSMICA  que vai modelar um novo Universo segundo as experiências anteriores.  São os Espíritos Planetários de todas as nações que acabaram por se tornar "Deuses" para os homens ao se revestirem da Matéria Astral Bruta e se manifestarem na onda de vida humana.  A tradição hindu os chamam de "Prajapatis", os construtores da Obra Universal, e afirma que Eles deixaram para o Homem, como patrimônio, todos conhecimentos que possuíam.


Espíritos Planetários são entidades de alta hierarquia espiritual que – pelo menos teoricamente – permanecem em contato com o mundo dos arquétipos (atiziluth) e que sintetizam características astrológicas. São também denominados Dhyan Choans (do sânscritodhyani, contemplação; e do tibetanochohan, senhor) e incluem as mais altas ordens de  consciências angelicais reconhecidas como Arquitetos do Universo, descendo até seres de semi-consciência que seguem a ideação transmitida por Eles pelo Logos Cósmico.  Atuando como Espíritos Construtores os Dhyan Choans obedecem ao Plano delineado pelo Espírito Cósmico para a criação dos mundos e dos planos da natureza tanto agora como no tempo de outras evoluções.  Afirma-se que cada Dhyan Choan emite Sua própria Voz, Mantra ou Som. Fundamentalmente essa Voz é uma ordem imperativa, um Comando Supremo (Vibração) dirigido a Hierarquia Angélica de seu respectivo Plano e que contêm os Arquétipos Logoidais idealizados pelo Deus Uno relativos àquele plano ou parte do Universo.

Shamballa

A O.L.N também recebe o nome de "Ordem dos Templários de Shamballa" pois seus iniciados buscam entrar em sintonia com uma Dimensão de Energia que existe fora do tempo e espaço chamado Shamballa.  

Shamballa é a primeira manifestação a Fraternidade Branca na Terra e morada dos "Reis Divinos". Os Mestres de Shambala são seres espiritualmente avançados que formam a fraternidade hierárquica de Adeptos Imortais que circunda o Meru e é aí mantida por uma influência infinitamente sábia e santa que 
trabalha pela evolução da Terra e de sua humanidade. 

Lendas trans-himalaicas nos dão conta que Shamballa está situada no plano etérico superior, ancorada acima do deserto de Gobi.  Afirma-se que Shamballa foi transladada à cerca de 12.000 anos para o coração da Àsia Central mas sua origem é o continente perdido de Mu ou Lemúria. Shamballa era a "Terra dos Deuses" ou  Elohim corpóreos. Foram estes "Deuses" que ensinaram a mais antiga gnosis aos discípulos humanos, ainda nos tempos pré-históricos.

Para nós da Ordem do Lótus Negro o reino mítico de Shamballa simboliza a consciência coletiva dos mestres superiores ascensos sendo também um sinônimo de "Caminho do Guerreiro" e está relacionada com a tradição marcial do samurai japonês, dos povos ameríndios, dos astecas e também com os ideais dos cavaleiros templários e a busca do Santo Grall, uma referência à esmeralda na testa de Lúcifer que representava a visão iluminada ou seu Terceiro Olho.

Reza uma tradição oculta que a energia que é transmitida da estrela Sírius penetra em nosso sistema planetário através do Sol que a retransmite para a Hierarquia de Luz de Shamballa. 

A O.L.N contêm três círculos: o Templo Externo, o Templo Interno e o Templo Secreto. 

O Templo Externo está ligado ao  primeiro grau de nossa organização denominado "Aprendiz". 

1º Grau: Aprendiz

Neste grau o estudante permanece no Pátio Externo do Santuário da Gnose e recebe o nome de peregrino. Ele inicia sua ascensão aos planos internos e segredos da ordem.  Para receber o segundo grau (Servidor) o peregrino precisa passar pelas sete iniciações herméticas.

As sete iniciações têm relação com a ascensão gnóstica do iniciado através das sete esferas planetárias ou chakras cósmicos do corpo de Adão Kadmon (o Homem Celeste). 

Na tradição ocultista as esferas planetárias encontram suas correspondências com os sete centros de energia do corpo (chakras) e com as forças astrológicas, angélicas e elementais da natureza. 

Assim ao cumprir as sete iniciações herméticas o peregrino recebe então o segundo grau: 

2º Grau: Servidor

No terceiro grau  (sacerdote) o peregrino torna-se um canal vivo para o akasha shambaliano, presume-se que ele nesse nível ele torna-se capaz de estabelecer um elo simbiótico com a consciência iniciática dos Mestres Ocultos da O.L.N e receber deles inspiração e orientação. 

3º Grau: Sacerdote

4º Grau: Grão - Sacerdote 


Ao atingir o quarto grau (Grão-Sacerdote) o iniciado recebe o título honorífico de Ptáh ou Epoptae dos Iluminati. Como um Ptáh o iniciado domina a Teurgia do Fogo Criador sendo um demiurgo ou criador de planos dimensionais ou universos mágicos, sendo capaz de moldar a plasticidade da luz astral e precipitar mudanças (magia) na realidade ordinária.  No Laboratório do Espírito Santo ou Terceiro Logos (Mãe Kundalini) ele realiza a divina alquimia do Demiurgo, do Ptáh dos egípcios, do Vulcano da mitologia greco-romana, que é a base de nosso universo material. 


Os 04 graus refletem a estrutura dos mistérios tântricos e gnósticos da O.L.N assim como às quatro direções simbólicas da consciência espiritual e os quatro planos de manifestação (Físico, Astral, Mental e Divino).


O Templo Secreto é também chamado "Templo do Dragão Negro". A partir desse ponto não existem mais graus pois os quatro graus já foram conquistados e o peregrino terminou sua caminhada espiritual no que diz respeito a O.L.N. Ele agora é um Grão-Sacerdote e só lhe resta dominar os Mistérios de Shambala e da Kundalini Terrestre, ambos ligados ao Logos Planetário ou Senhor do Mundo. O Título "Senhor do Mundo" pertence propriamente a "Manu", o legislador primordial e universal. Encontramos esse nome sob várias formas entre muitos povos antigos. Na realidade, o nome descreve não uma figura mais ou menos histórica ou lendária, mas um princípio, uma Inteligência Cósmica que reflete a pura luz espiritual e formula a Lei (Dharma) apropriada às condições de nosso mundo e do nosso ciclo de existência.   



Iluminismo Gnóstico 

A Ordem do Lótus Negro se foca em uma linhagem de iniciação sacerdotal «sampradāya» que confere a seus membros a conexão com a Alta Hierarquia Oculta ao qual estamos ligados. Estamos falando da Egrégora Oculta da O.L.N, um engenho de Alta Magia localizado no plano etéreo. Quando o individuo é iniciado na ordem ele inicia um processo de «samādhi» que é a expansão gradativa da percepção da Consciência. É um processo iluminista, totalmente interior, mas que repercute na vida exterior do iniciado de forma decisiva. Essa «expansão da consciência» ou, melhor dizendo: aumento da percepção de nosso verdadeiro Eu, de nós mesmos, é sempre acompanhada do despertar da kundalinī, a energia primordial, que se encontra dormente na base da coluna. A conexão com a corrente astral da ordem facilita o despertar espiritual do aspirante, pois ele passa a ser protegido pelos Guardiões e Ferozes Lokapalas do Samprad­aya ou linhagem de iniciação.

Talvez seja oportuno observar que o samadhi (iluminação mística) é realizado em e através do chakra supremo chamado sahasrara que se encontra no topo do crânio. Ocorre que na O.L.N esse centro está em relação com a consciência da energia de Shambala, o mais alto lugar sagrado em nosso planeta onde se encontra aquilo que denominamos "Tradição Primordial".

Entendemos que a Tradição Primordial preserva a mais antiga gnose trazida pelos Elohim (Deuses, Seres Luminosos) aos discípulos humanos ainda nos tempos pré-históricos. Ela foi a primeira e suprema tradição espiritual que inspirou os Mistérios Antigos, através de enredos teatrais que despertavam na consciência dos homens toda a Santa Gnosis Revelada.                      



                                         Fundamentos Históricos  O.L.N

Os sumérios e acádios estabeleceram as primeiras cidades-Estado da Mesopotâmia. Existem evidências que apontam para o fato que os sumerios ou acadios (akkádes, como Plutarco os definiam) eram os mesmos pelasgos tidos como ancestrais, antepassados dos gregos. Esse mito é a evocação da verdade histórica de que os gregos receberam de um povo vindo do oceano os alicerces de sua civilização. A região originária dos akkades é de todo desconhecida pelos historiadores. A própria raça, a língua, e todos caracteres antropológicos são ainda hoje objeto de estudo. O próprio Assurbanipal, rei dos assírios, considerava o akadiano uma língua hierática e sagrada, no século II a.C.  



Não existe hoje dúvidas que os akádios era um povo muito mais antigo do que os assírios, os caldeus, os babilônios e outros desse tempo. De fato os akades vieram de terras muito distantes e possuíam uma civilização e uma cultura muito diferente e superiores a civilização asiática da época. Teriam vindo de uma parte do mundo denominada Kar, vocábulo que significa "região montanhosa" do Oriente. 

Existe uma corrente de pensamento que sugere que os akádios descendem da raça turaniana na Ásia Central. Através de migrações sucessivas os akádios trouxeram a cultura asiática a Mesopotâmia. Muitos dos assustadores ritos taumatúrgicos dos feiticeiros babilônicos da era pré-semita foram preservados nos tabletes de barro da vasta biblioteca do Rei Assurbanípal.  

Conserva-se ainda hoje indícios da fascinante história da migração dos pré-históricos akádios, povo turaniano, que trouxe a Tradição Misteriosa do coração da Ásia e Shambala ao Mediterrâneo, encontrando às civilizações assíria e babilônica. Em termos religiosos a primeira raça a conceber uma Trindade Metafísica foram a dos akádios. Os caldeus eram da tribo dos akádios e instruíram os babilônicos.  Também os Escandinavos pré-históricos herdaram desses povos uma considerável tradição. 




Uma parte considerável da primitiva Teurgia Caldeu-Akadiana lidava com a conjuração de espíritos sub-lunares semelhante aos descritos na Magia Tradicional Salomônica. Isto não deve surpreender o leitor. Muitas das características da magia contida nos manuais ocidentais (grimórios) foram atribuídas por autoridades como Sir Wallis Budge a fontes orientais e particularmente mediterrâneas. O círculo mágico, recurso pelo qual o mago pode invocar espíritos, foi atribuído a Assíria e é importante em quase todas as operações ritualísticas dessa natureza no extremo oriente. Também as palavras mágicas e "nomes de poder" pelas quais os Djin eram conjurados por Salomão formam parte importante do antigo ensinamento egípcio.


 Magia Turaniana   


Os Mistérios Ocultistas da O.L.N tem suas raízes na corrente shambálica-turaniana da Ásia Central onde o Culto do Buda Primordial (Adi-Buda), considerado a primeira e suprema sabedoria, a essência de todos os Budas, tomou forma em tempos pré- históricos.  

O tipo de "curandeirismo" (xamanismo) praticado pelas tribos turanianas aliadas também foi levado à India e ao Tibet pelos primeiros brâmanes que haviam sido iniciados na Ásia Central.

Existe de fato uma continuidade de tradição mágica transmitida entre os povos mongóis e outros povos asiáticos como os chineses, japoneses e outros magos do extremo oriente. A cultura espiritual dos turanianos também influenciou os Sacerdotes-Magos do Egito através do intercâmbio comercial com os povos da região mesopotâmia como foi o caso dos akádios e/ou sumerianos.

A primitiva Magia Turaniana fundamentava-se no culto do espírito e na crença da imortalidade das almas. Suas práticas incluíam o teriantropismo (habilidade de projetar a consciência em formas animais) e a capacidade que possuíam de projetar sombras na matriz astral e vivificá-las com o poder da vontade. Aliás, esse é um processo relacionado a mais antiga Magia pois os primeiros feiticeiros foram aqueles que conseguiam evocar seus atavismos pré-civilizados, ou lembranças selvagens, em uma  imagem mental e materializá-los na realidade. 

Para entrar em comunicação com o mundo espiritual o teurgo-xamã deveria primeiro encontrar-se com os espíritos nos plano astral e assimilar deles sua natureza. Enriquecido, então, por eles, com abundante provisão de essência espiritual ele oferece aos espíritos parte de sua natureza física, seu magnetismo etérico, para colocá-los desta maneira em condições de poderem se manifestar, algumas vezes de forma semi-objetiva, da qual carecem. Esse processo é uma troca temporal de naturezas, chamado comumente de Teurgia. 





                             Uma Tradição de Ocultismo Sacerdotal:

O segredo das iniciações superiores reside no treinamento no unidirecionamento da mente (sânscrito: egakagrata), na habilidade de manter a mente focada em um ponto sem oscilar. A vontade espiritual é algo que a humanidade adormecida nada sabe. Ela depende da correta compreensão do significado de Shambala, pois o caminho para Shambala passa diretamente por Atma (alma individual, ou "verdadeiro Eu").






        



        
                                        Sobre o fundador


A Ordem Lotus Negro (O.L.N) foi fundada em 2004 e passou por diversas modificações  até atingir o status atual de fraternidade iniciática sacerdotal. Ela é dirigida pelo seu Frater Superior e Hierofante dos Mistérios Helio Monteiro (Dharmagupta) que é estudioso de Filosofia Yogui, Ocultismo Hermético e Budismo Tântrico desde a década de 1980. Nos anos de 2010 recebeu iniciação mística nos Ritos Tântricos do Shaivismo. Helio também foi consagrado como mago-sacerdote da Igreja Gnóstica da linhagem apostólica de Krumm Heller (Huiracocha), Jorge Adoum, Paulo de Paula e Khaled Khan, 777. 

Com sua eclética formação em Meditação, Xamanismo, Reiki, Tantra, Apometria, Feng Shui e Seitai (quiropraxia japonesa),  Helio se esforça para reunir diferentes sistemas esotéricos e seus respectivos conhecimentos, para ajudar seus alunos em seus próprios caminhos. Atualmente trabalha como Terapeuta Metafísico e Bionergético. Sua área de atuação parapsíquica é ampla oferecendo consultoria em diversos casos tais como: mudanças de comportamento, investigação de fenômenos ocultos, bloqueios energéticos, harmonização de ambientes «feng shui», alinhamento dos chakras, resgate da autoestima, reprogramação mental e desenvolvimento do potencial interior «espiritualidade» etc.

contatos: heliomonteiro1966@gmail.com.br                      


                                também no facebbok o endereço da página da Ordo Lotus Nigra: 
https://www.facebook.com/Ordolotusnegro



                                      Obs: todas as fotos desse artigo são dos Templos da O.L.N

0 Comentários: