FACEBOOK
CONTATO
FEED
YOUTUBE
TWITTER
LINKEDIN
EnglishFrenchGermanSpainItalianRussian

Soberano: O Banquete da Conquista. — Por: Srta. Shalook.

Print Friendly and PDF


Shalook em: 09/11/2015

Em uma noite de lua cheia e céu nublado, à sombra de um enorme carvalho, bruxas e demônios se divertem ao som de harpas noites a dentro enquanto os mortais dorme sob os braços de Morfeu.

A lua cor de sangue brilha resplandecente no céu. Em um enorme banquete eles devoram a carne pobre dos corpos enquanto saboreiam seus cálices de sangue.

Eis que o anfitrião da festa chega para abrilhantar o ambiente com sua ilustre presença, trazendo consigo uma legião de demônios. A festa apenas começara, sem hora para terminar.

As bruxas recebem o senhor das trevas com uma dança sedutora e evolvente, elas bailam em seus trajes casuais, com seus vestidos longos e decotados, deixando seus seios à mostra para o deleite dos seres infernais.

Satã, em seu trono adornado por inúmeras cabeças, saboreia seu cálice em formato de crânio, ele entorna sua bebida predileta: o sangue dos mortais, enquanto assiste as feiticeiras dançarem esplendorosamente.

Atrás de uma enorme árvore demônios compilam na frente de todos, afim de procriarem as gerações. Oferendas são feitas ao pai da discórdia: virgens são violadas brutalmente e depois degoladas diante do pai do inferno. As carcaças eram jogadas aos lobos e chacais que estraçalhavam as sobras daqueles corpos.

Levantando-se de seu trono, o majestoso dono e soberano do submundo, proclamara em alto e bom som: - Seres maléficos e meus servos féis, celebramos hoje a nossa vitória. Tomaremos o que é nosso por direito, a terra e os céus. Aprontem-se, pois causaremos o caos e dominaremos tudo! Segurando um livro sagrado, de capa banhada a ouro puro, ele pronunciara sua cerimônia.

De repente o céu se abriu e demônios subiam até o plano superior. Na terra, os demônios dominaram os mortais, trazendo o terror e as morte sem fim, enquanto a batalha era travada nos céu. Anjos e demônios lutavam, o bem e o mal, até o fim, sem rendição. Raios e trovões lançados à terra traziam anunciavam o apocalipse.

0 Comentários: