FACEBOOK
CONTATO
FEED
YOUTUBE
TWITTER
LINKEDIN
EnglishFrenchGermanSpainItalianRussian

SE CAIBO NA MINHA PELE por natanael gomes de alencar

Print Friendly and PDF


Está certo. Vou dizê-lo.
Sou intervalo, sou medo.
Não, não. Isso é Fernando
em seu cavalo pessoano.

Sei que levo à raiva.
Sei que até no amor.
Entre um brâmane e um dalit,
sou do pó e mais que o pó
do além que me pisou.

Sou triste? Pra uns o sou.
Alegre, choro sem dor.
Se caibo na minha pele,
é que ainda não voou
o tempo que me adere.

Me arrumam vaias.
Sou sem gosto sem odor.
Por mim, daqui não iria
sair, mas já comecei
a encher a tina vazia.

Vê só. Foi-se uma hora.
E eu sem estar vou pra lá,
bem longe, além-nariz,
pra você bem instalar
o teu ser desencontrado.

Por mim daqui não iria.

Meu ser é tina vazia.

0 Comentários: