As Portas da Percepção por Aldous Huxley

Print Friendly and PDF



Escrito em 1954 por Aldous Huxley, As Portas da Percepção é o relato da experiência do escritor com a mescalina. A obra já foi chamada de "A Bíblia psicodélica" e foi escrita como resultado das experiências de Huxley com alucinógenos. O resultado são idéias e estudos que ainda hoje são considerados revolucionários e "perigosos demais para as pessoas comuns".
O autor assume que a realidade é muito mais vasta do que o que é normalmente visto e sentido pelas pessoas. O cérebro humano filtra o universo de modo a não permitir a passagem de todas as impressões e imagens que existem efetivamente. Se isso acontecesse, o processamento de tal quantidade de informação seria algo entre o maravilhoso e o insuportável, podendo gerar místicos ou loucos depedendo do background em que a pessoa vive.
O livro trás ainda uma crítica pesada à religião contemporânea, e traduz as religiões estitucionalisadas como um obstáculo que mais afasta o religioso do sagrado do que o une as pessoa a este princípio transcedente. A obra culmina no desenvolvimento de uma filosofia sobre a formação de uma religião peiotista.
No original o texto não possui divisões por capítulos, a divisão aqui apresentada serve apenas para facilitar a leitura do volume. O título vem de uma famosa citação do poeta inglês, William Blake: "Se as portas da percepção estivessem limpas, tudo apareceria para o homem tal como é: infinito."

Indice:
1. A Experiência Com a Mescalina
2. A Maior Drugstore do Mundo
3. O Jardim que Adão Viu Quando Abriu os Olhos
4. O Mar Vermelho de Tráfego
5. Conclusão - Comunhão com o Deus Vegetal

FONTE: http://www.mortesubita.org/psico/textos-de-psicologia-bizarra/portas-da-percepcao

1 Comentários:

Anônimo disse... 6 de janeiro de 2013 01:49

I don't even know how I ended up here, but I thought this post was good. I don't know who
you are but definitely you're going to a famous blogger if you are not already ;) Cheers!
Here is my website ... body therapy center palo alto